Área do Assinante

Acesse sua conta e leia agora as principais notícias da nossa cidade e região e conteúdos exclusivos d'O SUL DE MINAS.com.

Cadastrar
Perdi minha senha!
Acesse www.osuldeminas.com

A reversão do Modelo Econômico equivocado 1/3

02/02/2015 às 08:00

Nas ciências, os cientistas criam modelos que representam de forma simplificada fenômenos mais complexos que ocorrem na realidade. Os objetivos de um modelo são explicar, analisar, descrever, explorar, controlar e predizer os fenômenos ou processos observados na natureza. Como a economia é a ciência que estuda a escassez de recursos, os economistas criam modelos e analisam quais decisões levariam ao máximo aproveitamento dos recursos disponíveis. Porém, se o modelo econômico escolhido for equivocado, as decisões de governo acabam desperdiçando os preciosos recursos que poderiam ser utilizados para trazer mais desenvolvimento econômico e a maximização do bem-estar da população. Apesar das inúmeras diferenças entre países e da enorme quantidade de variáveis envolvidas, a história econômica das nações tem mostrado que o modelo econômico que valoriza a competição entre empresas e a menor intervenção estatal produz melhores resultados. O Brasil seguia esse modelo de sucesso até 2009 quando a crise internacional exigiu maior intervenção estatal para minimizar os danos que sobreviriam da mesma.
Foi então que os defensores da ideologia do atraso se aproveitaram para aumentar sua influência sobre o governo, levando-o a abandonar o modelo econômico de sucesso adotado a partir de 1999. Com ele, o país havia colhido o rápido crescimento econômico na primeira década desse século. Aos poucos, porém, o tripé da estabilidade foi sendo desmontado. O governo optou por interferir no câmbio, relaxou no controle da inflação – inclusive com tarifas públicas artificialmente congeladas - e desprezo ao resultado fiscal. Para completar o arsenal de medidas intervencionistas, o governo elegeu empresas campeãs nacionais para receber recursos do BNDES com juros camaradas, carregou nas desonerações tributárias tópicas e desarticuladas, adotou medidas protecionistas, exagerou na exigência de conteúdo nacional para as compras estatais e baixou os juros na marra. No curto prazo, essas medidas conseguiram reverter os efeitos da crise internacional e produziram rápido


Recomendar a um amigo Voltar
Ver todas as notícias em Vinícius Montgomery Ver todas as notícias

Mensagem rápida | Editais | Adm | Classificados | Comercial | Leitor

The CAPTCHA image

Em Áudio

Digite abaixo os caracteres acima correspondentes.


cancelar

Jornal O Sul de Minas | Rua Xavier Lisboa, 316 CEP: 37501-042 | Itajubá, MG - Brasil | Telefax: 35 3621 1522

Sites profissionais para o seu negócio