Área do Assinante

Acesse sua conta e leia agora as principais notícias da nossa cidade e região e conteúdos exclusivos d'O SUL DE MINAS.com.

Cadastrar
Perdi minha senha!
Acesse www.osuldeminas.com

Colunista do Jornal O SUL DE MINAS é consultor financeiro de renome nacional

18/02/2011 às 14:44

Por ALEXANDER CARVALHO, alexander@jornalosm.com.br

O OSM entrevistou um de seus colunistas, o especialista em Educação Financeira e criador do site Dinheirama, Conrado Navarro, que, hoje, é um renomado consultor financeiro e figura na mídia especializada e geral, dando dicas e tirando dúvidas sobre finanças.

Na entrevista abaixo, ele conta como conquistou este reconhecimento, fala de projetos em andamento e aspirações futuras.

O CRIADOR do site Dinheirama e colunista do Jornal O SUL DE MINAS, Conrado NavarroAlexander Carvalho

Jornal O SUL DE MINAS - Sua formação acadêmica inicial não é na área de finanças. Como se tornou um consultor financeiro?

Conrado Navarro - Eu sou formado em Ciências da Computação, mas tenho uma relação muito estreita com a área de finanças desde muito tempo. Sempre valorizei muito o relacionamento com dinheiro, a importância de investir, de não gastar tudo que a gente ganha e separar uma parte das receitas. Sou bastante autodidata nesta área de finanças e economia. Durante toda minha formação e até hoje, leio muito e participo de vários cursos.

Após um tempo trabalhando na área de informática, cerca de cinco anos e meio, decidi que era hora de pensar num caminho mais parecido comigo, que é a área de finanças, na qual já estou me dedicando integralmente há cinco anos.

Costumo dizer que a área de que gosto e em que atuo é Educação Financeira. Durante o período em que trabalhei, fiz questão de formar um patrimônio para poder viver não só do trabalho, mas dos rendimentos que meus investimentos me davam.

Durante este caminho de tentativas, com erros e acertos, eu cheguei a abrir empresa, que não deu certo... Então, com este fracasso e alguns sucessos, aprendi algumas coisas e, como gostava de escrever, pensei: por que não compartilhar estas experiências? Para isso, carecia de formação na área de Administração e de Finanças, especificamente, e fui buscar isso através de uma pós-graduação.

Então, fiz um MBA na Unifei, que é considerado um dos dez melhores do Brasil. O foco do meu trabalho dentro deste curso foi a parte de finanças, análises de investimentos e finanças pessoais.

OSM - Como surgiu o Dinheirama?

Conrado - O Dinheirama surgiu no meio do ano final do meu MBA. Foi uma coisa muito natural, eu comecei a procurar material sobre a área de Educação Financeira na internet e cheguei à conclusão de que tínhamos ótimos livros, boas referências impressas e muito pouco material na internet. Então eu pensei: existe um espaço aqui para a gente criar um material que possa atender bastante gente na internet, pois, se eu não achei em minha busca, é provável que muita gente também não tenha encontrado material sobre a área. Com esta identificação de nicho de mercado, resolvi escrever sobre o setor e, como estava estudando sobre o assunto, ficava fácil. Eu aliei o conhecimento específico na área de computação com a minha nova formação e mais minha experiência e comecei com um blog no início de 2007.

OSM - Como você divulgou o site?

Conrado - Através do contato com a imprensa e com outros profissionais da área que eu conhecia, devido à participação em vários seminários e congressos. É o famoso net work que fez com que o site começasse a ter um nível de visitação mais alto e, então, precisei investir mais na estrutura dele. Nessa época, me associei a outra pessoa, que, hoje, é meu sócio no Dinheirama. Ele é contador com especialização na área de economia, e me auxiliava com alguns textos específicos da área em que trabalha. No período de um ano, chegamos a uma média de 1.000 acessos por dia. Era um número razoável, mas relativamente pequeno perto da oportunidade que a gente estava vendo.

Naturalmente, fui me encaminhando para criação de material na área financeira e, assim, surgiram os produtos da empresa Dinheirama. Hoje, trabalhamos com consultoria para empresas: toda parte que diz respeito ao aprendizado de educação financeira voltado para elas, tanto para a gestão dos negócios, quanto para que os funcionários cuidem melhor de suas finanças pessoais. Nesse período de três anos, publiquei dois livros: um deles é o ‘Vamos Falar de Dinheiro’, pela editora Novatec, e o outro tem o título do site, ‘Dinheirama’

OSM - De quê você trata no primeiro livro?

Conrado - Ele fala sobre educação financeira, do início ao fim. Começa com a importância de se cultivar bons hábitos relacionados ao dinheiro, como montar um orçamento, cuidados com endividamento, compra parcelada, condições que devem ser avaliadas na compra de bens; a parte final fala sobre investimentos e aposentadoria. Existem também muitas ferramentas que a gente indica no livro para que as pessoas possam baixar de graça da internet para facilitar a vida, tais como simuladores e planilhas.

OSM - E no livro ‘Dinheirama’, de quê você trata?

Conrado - Em 2009, participamos de um concurso de votação popular na internet, organizado pela Ediouro, um dos maiores grupos editoriais do Brasil, e eles pediram para os internautas escolherem, em diversas categorias, quais eram os melhores sites em sua opinião. O Dinheirama concorreu na categoria de Comunicação e Negócios. Este prêmio tinha como resultado a publicação de um livro dentro de cada categoria, que seria custeada pelo grupo Ediouro, com a seleção dos melhores textos dos sites vencedores. Foi um conquista importante, pois é um grupo editorial muito forte e, neste ano, temos planos de lançar mais dois livros. A ideia é que consigamos lançá-los em parceria com a Ediouro. O prêmio nos trouxe um reconhecimento muito grande, pois houve um lançamento nacional do livro com uma campanha publicitária bastante forte.

OSM - Como você começou a figurar na mídia nacional dando opinião sobre a área de finanças ou tendo o Dinheirama citado como exemplo de sucesso na área?

Conrado - Depois de um ano e meio, quando conseguimos atingir a marca de 40 mil visitantes por mês, comemoramos muito. Isso começou a chamar a atenção dos grandes portais e da mídia impressa. Então, depois de um ano e meio de site, tínhamos uma posição muito boa na internet. Quando se falava em educação financeira e dicas específicas, o Dinheirama já vinha na mente das pessoas. Quando um jornalista procurava alguém para conversar sobre determinado assunto, ele tentava descobrir as fontes mais atualizadas através de pesquisas e, nesse processo, os repórteres sempre acabavam chegando na gente, porque muitas pessoas nos indicavam. Além disso, sempre tivemos um relacionamento muito amistoso com a mídia, com um respeito muito grande pela mídia tradicional. Então sempre que recebíamos um contato, procurávamos atender dentro das necessidades, até porque a mídia precisa de tudo urgente. O jornalista, quando liga, já está precisando fechar a matéria e não dá para marcar para outro dia. Muitos ligavam prontos para ouvir um ‘não!’; a gente sempre falava ‘sim!’ e atendia, e continua atendendo com muito respeito. A gente sabe que está colaborando e que pode precisar deste profissional no futuro. Além disso, estamos divulgando o nosso trabalho. Entre 2009 e 2010, a gente deve ter feito perto de 500 aparições espontâneas em mídia, como Portal Exame, revistas como Isto é Dinheiro e publicações específicas sobre investimentos e jornais.

OSM – Cite alguns órgãos de imprensa para os quais você já concedeu entrevista ou colaborou?

Conrado - Já concedi entrevista à Folha de São Paulo, vários títulos da Editora Abril, Portal Exame, Revista Isto é Dinheiro e jornais do Brasil inteiro, como Gazeta do Povo, Correio Brasiliense, Diário do Comércio (São Paulo), O Estado de São Paulo, Diário de Pernambuco e iniciativas locais, que sempre fiz questão de apoiar, como a coluna no Jornal O SUL DE MINAS, e participações na revista Naturale. Existem veículos de maior expressão e de menor expressão, porém cada um tem o seu público e procuramos trazer estas pessoas para que elas conheçam o site. Tenho também uma coluna no Portal Você S.A, que é o maior portal e revista de carreira do País.

OSM - Como surgiu o nome Dinheirama?

Conrado - Quando comecei a escrever, não existia um nome. Publicava em uma plataforma de blogs da Google e não tinha um site específico meu. Então um amigo, o Fábio, que tem uma empresa chamada Camiseteria, no Rio de Janeiro, foi quem me disse que eu tinha um material muito bom, mas que precisava ter um site e pensar em um nome que associasse o material ao meu conhecimento. Curiosamente, eu fui ler uma matéria em que se discutia a questão do uso do orçamento da União e uma das palavras deste texto era ‘dinheirama’. O jornalista escreveu algo, mais ou menos assim: “o governo está gastando uma dinheirama...”. Eu li este termo no mesmo dia que tinha conversado com o Fábio e pensei que tinha tudo a ver com o que estava fazendo. A palavra é forte e pode ser interpretada de várias maneiras: ‘Dinheirama’, porque vou aprender a multiplicar meu dinheiro e ter uma dinheirama ou porque, se dividir, ficam as palavras ‘dinheiro’ + ‘ama’. Meu primeiro passo foi registrar o dinheirama.com e ainda levei um mês para fazer a migração do conteúdo do blog para o site.

OSM - Qual a sua relação com Itajubá?

Conrado - Eu viajo muito, tenho muitos trabalhos fora, mas faço questão de dizer que eu moro em Itajubá. Valorizo muito qualidade de vida, gosto de manter uma rotina de exercícios físicos e em São Paulo, onde morei durante seis anos, não conseguia colocar isso em prática. Vou cerca de duas vezes por semana para São Paulo. Às vezes, de lá eu viajo para outros lugares, mas volto para Itajubá. Nosso escritório fica em Itajubá, na Rua Nova. A equipe que gerencia o site, a que auxilia com a parte comercial, o pessoal de manutenção técnica, tudo está aqui em Itajubá, como profissionais contratados aqui.

OSM - Quais são suas aspirações futuras?

Conrado - Eu tenho alguns objetivos editoriais para já, como os projetos de publicar estes dois livros ainda neste ano, que já estão engatilhados, mas também gostaria de publicar mais obras até fora desta linguagem técnica específica, uma coisa de ideias que passam pela cabeça.

Costumo dizer que o Dinheirama ainda é um bebê, apesar de apresentar números expressivos de visitação no site atingindo já a marca de quatro milhões de visitas. Hoje, temos cerca de 250 mil visitas por mês, é um número bastante alto para um site de nicho, mas tenho objetivos de fazer ele se expandir ainda mais.

A carreira acadêmica é algo que acho legal, até pela família, pois sou filho de pai professor universitário (Oscar Navarro, ex-vereador) e também há o meu tio Júlio, que dá aulas na Unifei. Então tenho um pouco disso no sangue, mas tudo depende do momento. Estou numa fase de muita correria por conta deste trabalho do site, que tem me dado muitas alegrias e também me toma muito tempo. Então, não tenho como me dedicar à atividade de lecionar. No entanto, pretendo futuramente fazer um mestrado e numa outra fase da vida me dedicar também à atividade de professor.

Quanto a projetos pessoais, tenho trabalhado com alguns investimentos de sociedade em pequenas empresas, entrando como apoiador e ajudando pessoas a realizarem seus negócios e, com isso, eu também acabo ganhando.

Mesmo com tudo isso, o grande foco continua sendo o Dinheirama, pois, apesar de já termos uma boa participação de mercado, a demanda ainda é muito grande. Outra coisa é o trabalho de produção de conteúdo específico de finanças para empresas de cartão de crédito e bancos: são muitas cartilhas e material de educação financeira em geral.

Então é isso, continuar focando no Dinheirama, mas não deixar de lado os outros projetos de que falei.


Comente! Recomendar a um amigo Voltar
Ver todas as notícias em Educação Ver todas as notícias



Mensagem rápida | Editais | Adm | Classificados | Comercial | Leitor

The CAPTCHA image

Em Áudio

Digite abaixo os caracteres acima correspondentes.


cancelar

Jornal O Sul de Minas | Rua Xavier Lisboa, 316 CEP: 37501-042 | Itajubá, MG - Brasil | Telefax: 35 3621 1522

Sites profissionais para o seu negócio