Área do Assinante

Acesse sua conta e leia agora as principais notícias da nossa cidade e região e conteúdos exclusivos d'O SUL DE MINAS.com.

Cadastrar
Perdi minha senha!
Acesse www.osuldeminas.com

NUVENS NEGRAS, INFELIZMENTE

12/01/2015 às 08:13

Fim de festa. 2014 já está descansando e 2015 começa a engatinhar.
A dura realidade que assombra o futuro do Brasil e, de quebra, nossa Itajubá, merece a atenção de todos.
E tudo está ruim e deve ficar muito pior pela medíocre atuação dos responsáveis pela condução dos governos.
Estamos perdendo em todas as frentes. Os problemas se avolumam e não temos perspectivas de melhoras.
O Brasil passa por um teste, duríssimo, e os resultados necessários para possibilitar a retomada do crescimento não são muito claros para a parcela da população que paga uma das mais altas cargas tributárias do mundo.
A preocupação com os destinos da desatinada gestão econômica do atual governo, baseada em tudo o que foi desgraçadamente produzido no primeiro mandato de Dilma Roussef (2011-2014), deve estar deixando muita gente graúda sem o devido e necessário sono.
O governo petista misturou a gestão do Estado brasileiro com os interesses partidários da agremiação. A mistura é explosiva. E o resultado do aparelhamento (indicação de membros do partido para ocupar cargos em empresas estatais) está sendo cada vez mais condenável.
O governo federal teve a sensatez de seguir a austeridade econômica do governo de FFHHCC nos primeiros anos do primeiro governo LULA. É primordial lembrar que durante os dois mandatos de LLULLA o mundo viveu grande parte em crescimento, diminuido com a crise imobiliária de 2008 nos Estados Unidos. A gestão econômica brasileira neste período foi muito beneficiada. O país tinha reservas financeiras em dólares e estas aumentavam muito com as exportações de matérias primas, avidamente consumidas, principalmente pela China.
A tentação populista levou o governo a se desligar do rígido e necessário controle fiscal. Os resultados de uma gastança desenfreada e sem resultados benéficos ao país começaram a aparecer na forma de aumento inflacionáro e falta de capital para realizar os investimentos necessários para manter a infraestrutura desejada.
Além de mascarar a situação econômica do país, Dilma precipitou a crise financeira na Petrobras ao proibir aumento dos preços dos combustíveis, onerando a empresa.
Mas, este torniquete aplicado à Petrobras é suave quando comparado ao estrago provocado pela corrupção praticada pelo alto escalão da empresa.
A operação LAVAJATO, da Polícia Federal, está esclarecendo toda a roubalheira que aconteceu na Petrobras que está em situação quase crítica. A empresa já perdeu quase 80% de seu valor de mercado durante o governo Dilma. Ações judiciais começam a ser apresentadas nos tribunais norte-americanos pedindo ressarcimento de prejuízos aos acionistas daquela nação. A própria presidente Dilma está arrolada como responsável pela situação. Dilma foi presidente do Conselho de Administração em um momento gravíssimo: a aquisição da Refinaria de Pasadena, também nos Estados Unidos.
Nesta tenebrosa compra, a Petrobras perdeu quase US$1 BILHÃO.
Portanto, não me venha dizer que Dilma e Lula de nada sabiam.
Desta vez, ficará muito difícil o ex-presidente dizer que nada sabia. A conferir.
Nuvens negras estão no horizonte, infelizmente.


Recomendar a um amigo Voltar
Ver todas as notícias em Coluna do Santiago Ver todas as notícias

Mensagem rápida | Editais | Adm | Classificados | Comercial | Leitor

The CAPTCHA image

Em Áudio

Digite abaixo os caracteres acima correspondentes.


cancelar

Jornal O Sul de Minas | Rua Xavier Lisboa, 316 CEP: 37501-042 | Itajubá, MG - Brasil | Telefax: 35 3621 1522

Sites profissionais para o seu negócio