Área do Assinante

Acesse sua conta e leia agora as principais notícias da nossa cidade e região e conteúdos exclusivos d'O SUL DE MINAS.com.

Cadastrar
Perdi minha senha!
Acesse www.osuldeminas.com

Scopel e Marly completam 26 anos de dança em Itajubá

04/04/2018 às 14:38

Por GUSTAVO CORTEZ

Com uma proposta democrática, as aulas do casal já se tornaram uma tradição da cidade

A dança, num todo, sempre desperta emoções, seja em quem dança, mas também em quem assiste. E quando o amor por esta arte também provoca a paixão e o amor entre duas pessoas, o resultado só pode render bons frutos. Em Itajubá é assim. Quem não conhece Scopel e Marly? Se tem alguém que não, vai conhecer agora.  Marly F. Arantes Alkmin Scopel é mineira de Delfima Moreira e Luis Antonio Scopel é gaúcho de Guaporé. Eles se conheceram pela dança, se apaixonaram, casaram e juntos já ministram aula de dança de salão há 26 anos em Itajubá.

O reconhecimento de um trabalho bem feito sempre acontece para eles. Recentemente receberam uma moção congratulatória por parte da Câmara Municipal de Itajubá, em razão dos anos dedicados a ensinar a dança no município. Um reconhecimento e tanto, já que eles driblam qualquer contratempo, como uma crise econômica, por exemplo, e conseguem manter a escola de dança. Um desafio que eles enfrentam com louvor.   

O casal é o grande exemplo de que grandes paixões da vida podem se tornar também a profissão. São responsáveis por ensinar a arte da dança para milhares de pessoas e consequentemente fazer parte da história de vidas deles. E eles fazem questão de frisar que no salão de dança todo mundo é igual. Para os bailarinos, a dança tem o poder de tornar todo mundo igual, independente de classe social, profissão, cor, religião, orientação sexual, enfim, tudo o que “classifica” uma pessoa.

Com todo esse tempo de experiência eles garantem: A dança transforma a vida das pessoas. “Além de ser uma terapia, também se torna um lazer, uma atividade física, às vezes se torna um grande amor e tem até gente que encontra seu grande amor na dança. No ano passado quatro casais se conheceram na nossa escola”, destaca Marly.

Scopel conta que a dança de salão é uma atividade física classificada como moderada e completa: “O bom é que na dança de salão a gente evita com que as pessoas falem de seus problemas externos. Nós temos um mundinho encantado e as pessoas quando vão para a dança de salão, querem se divertir e conseguem. Nós fazemos da aula, um baile. E o resultado nas vidas das pessoas é muito gratificante para nós”.

E nada melhor que a dança para unir casais. Marly conta que muitos já foram salvos por conta da dança. “Já apostaram na dança como a última chance para o relacionamento. E a magia da dança os uniu novamente”, frisou.

Realities

A dança ganhou nos últimos anos, realities shows bastante expressivos e de sucesso no Brasil, como por exemplo, a Dança dos Famosos, quadro do Domingão do Faustão, da TV Globo e mais recentemente, o Dancing Brasil, da RecordTV, apresentado por Xuxa Meneguel. E junto com eles, a enorme vontade de fazer aulas de dança se espalhou pelo País.

Para Scopel e Marly, os realities tem um impacto bastante positivo no interesse pelas aulas, apesar disso, eles fazem questão de frisar que os programas de TV têm todo o glamour e aparato para que atraia audiência. Diferente da realidade, que apresenta algumas diferenças. “Mas eles tiveram que fazer, principalmente aqui no Brasil, uma adaptação. Por exemplo, a Valsa não tem passos aéreos. Não se joga assim em Valsa. Fizeram isso para a televisão. Mas pra gente é muito bom, eles conseguem fazer uma propaganda de graça pra nós”, disse Scopel.

O início

O casal lembra que antes de terem o próprio local, as aulas eram ministradas a princípio em clubes de Itajubá e região. “Chegamos até a dar aula na casa das pessoas. Isso foi durante cinco anos. Até conseguirmos nosso próprio espaço para a dança de salão”, reforçou Scopel. E já faz 11 anos que estão instalados no calçadão, no andar superior ao banco Santander.

Os cursos

Scopel e Marly avisam que ministram aulas com turmas abertas para iniciantes, para pessoas que já tem uma base e para quem já faz aula com eles há bastante tempo, os chamados intermediários. Eles também criam e ensinam coreografias para a valsa de 15 anos, para dança de noivos nos casamentos e coreografias em geral, inclusive para bailes de formatura.  Os telefones para contato: (35) 99986-3830, (35) 98849-2105 e (35) 3621-3131.


Recomendar a um amigo Voltar
Ver todas as notícias em Geral Ver todas as notícias

Mensagem rápida | Editais | Adm | Classificados | Comercial | Leitor

The CAPTCHA image

Em Áudio

Digite abaixo os caracteres acima correspondentes.


cancelar

Jornal O Sul de Minas | Rua Xavier Lisboa, 316 CEP: 37501-042 | Itajubá, MG - Brasil | Telefax: 35 3621 1522

Sites profissionais para o seu negócio